Rally Erechim

Rally de Erechim recebe certificação ambiental do IBF

Selo “Plante Árvore - CO2 Neutro” é conquista de trabalho realizado pela prova e parceiros

erechim-ibf

O Rally Internacional de Erechim teve no início desta semana uma importante notícia e conquista. O Instituto Brasileira de Florestas (IBF) concedeu ao evento o selo “Plante Árvore – CO2 Neutro”. Este, de acordo com um dos coordenadores do projeto no Rally, Thomaz Tomazoni, é  concedido a quem faz a compensação das emissões de carbono. “Por termos realizado o processo de inventário das emissões de gases de efeito estufa e compensação destas emissões, o IBF fez a concessão do selo ao Rally Internacional de Erechim. Este selo demonstra o respeito ao meio ambiente e o incentivo ao desenvolvimento sustentável o que garante credibilidade ao evento,

valorizando e fortalecendo sua marca perante seus espectadores e apoiadores”, destaca Thomaz.

Mais informações sobre a importância do selo “Plante Árvore – CO2 Neutro” podem ser obtidas no próprio site do IBF, no endereço www.plantearvore.com.br/pt/selo-qplante-arvoreq.html.

O IBF certifica empresas que realizam  plantio de árvores nativas ou patrocina projetos socioambientais com o selo “Plante Árvore” que está em conformidade com a legislação ambiental vigente e de acordo com o modelo proposto pela Norma ISO 14020 para

concessão de selos ambientais. Indicando que sua empresa investiu no plantio de árvores e seqüestrou CO2.

O selo Plante Árvore é o único da América Latina com a aprovação do Instituto Brasileiro de Florestas. Este selo é importante para que a empresa seja reconhecida como incentivadora de ações sócio-corretas, seu nome será vinculado a estes trabalhos através de matérias em nosso site e em todos os meios de comunicação do IBF, juntamente com o certificado (selo) “Plante Árvore”.

O projeto erechinense

O projeto do Rally Internacional de Erechim, denominado de “Carbono Zero” ou ”Carbono Neutro”, trata-se de uma importante ferramenta de gestão ambiental, explica o biólogo Thomaz Tomazoni, da empresa IS – Inteligência em Sustentabilidade, que em parceria com o Rally Internacional de Erechim, vem desenvolvendo os planos e ações deste projeto.

De acordo com Thomaz, o projeto Carbono Zero, pode ser aplicado as mais diversas situações, como a fabricação de um determinado produto, a prestação de todo tipo de serviço, funcionamento de instalações industriais, viagens, e eventos, como o Rally Internacional de Erechim.

Segundo ele, o projeto consiste basicamente em três momentos distintos: o inventário, que é a medição e registro das emissões, a implementação de ações e processos que visem a redução da emissão destes gases ao longo do tempo e finalmente a compensação das emissões que não puderem ser evitadas.

O objetivo principal é a gestão estratégica no âmbito da sustentabilidade ambiental em um cenário de mudanças ambientais, visando um modelo ideal focado na melhoria dos processos que conduz a um desempenho superior e a agregação de valor a marca, por meio da exposição de ações ambientalmente responsáveis perante a sociedade.

O projeto na prática

Thomaz Tomazoni explica que o inventário é desenvolvido com base em metodologias e protocolos reconhecidos internacionalmente como a ISO 14064, IPCC e GHG Protocol regulamentado no Brasil pela Fundação Getúlio Vargas. “Primeiramente se identificam e caracterizam as fontes emissoras de gases, que envolvem todos os processos diretos e indiretos neste caso da organização do evento como a queima de combustíveis, toda a energia adquirida, o consumo de materiais e a geração de resíduos. Depois são aplicadas as fórmulas padrão para cada tipo de emissão para se calcular quantas toneladas de carbono equivalente os processos emitiram”, enfatiza o biólogo.

Ele mostra ainda que a partir dos resultados obtidos podem-se traçar metas de longo prazo visando a redução destas emissões buscando elevar a eficiência dos processos.

“Outro passo importante é a posterior compensação destas emissões, ou seja, a neutrallyzação dos gases emitidos, que é feita por meio do plantio de árvores nativas em número suficiente para neutrallyzar a quantidade de gases emitidos”, aponta.

O biólogo aponta que este projeto demonstra uma atitude responsável que contribui com a diminuição e a compensação das emissões de gases causadores de Efeito Estufa, principal fator intensificador do aquecimento global. “Além disso, o evento ganha valor e credibilidade por meio da simpatia e fidelidade de seus participantes por estar incentivando o desenvolvimento sustentável”, diz Thomaz.

O projeto está sendo desenvolvido pela equipe técnica da IS – Inteligência em Sustentabilidade, formada pelos biólogos Thomaz Tomazoni e Adriano Ziger, biólogo mestre Júlio Ricardo Bastos  e biólogo doutor Jean Carlos Budke.

PrimeComunicação
Texto e Foto: Edson Castro