Comissão organizadora do Rally de Erechim faz avaliação positiva do evento

Prova quebrou recorde de competidores no esporte em corridas no Brasil

erechim-final-comissao

O final de semana foi de muita velocidade e adrenalina no norte do RS. Mais de 80 carros alinharam no grid de largada do Rally Internacional de Erechim, o que se transformou na maior prova da história do esporte no Brasil. Entre estes, mais de 30 carros vindos de cinco países diferentes da América do Sul.

Um grande evento que teve grande presença de público e com avaliação extremamente positiva por parte dos organizadores. “Fechamos a o evento com chave de ouro. Mostramos que esta relação que existe com a comunidade da região é maravilhosa. Não somos 1.200 voluntários fazendo o Rally de Erechim, somos 100 mil erechinenses, 200 mil pessoas da região trabalhando pelo crescimento, buscando novos desafios e que fazem tudo isso dar certo”, destacou o coordenador geral do Rally, Claudio Pagliosa.

Para ele, o evento conseguiu quebrar novos paradigmas. “Entre eles podemos citar a visita do Ministro dos Esportes Aldo Rebelo, vindo especialmente para a nossa largada promocional. Sensacional, mostra que estamos fazendo bem este grande evento”, acrescentou.

O presidente do Erechim Auto Esporte Clube, entidade promotora do Rally, Roland Koller disse que a avaliação foi muito positiva. “Fantástica eu diria, tivemos recorde de competidores, uma segurança perfeita, sempre nossa grande preocupação, mas felizmente nada aconteceu fora do programado. Temos que agradecer a todos, que de uma forma ou outra trabalharam, e nos ajudaram a garantir mais um grande sucesso para o Rally Internacional de Erechim”, frisou Koller.

O Rally Internacional de Erechim é a única prova brasileira no calendário do Campeonato Sul-americano de Rally de Velocidade. Possui Qualificação FIA, sendo um dos quatro eventos brasileiros com esta certificação, os outros são a Fórmula 1, Indy e Mundial de Turismo (WTCC). Este ano conquistou ainda o selo “Plante Árvore – CO2 Neutro), certificação expedida pelo Instituto Brasileiro de Florestas (IBF).

PrimeComunicação
Texto e Foto: Edson Castro