Search
Close this search box.

Em noite de multidão, Zaldivar se torna primeiro líder do Erechim Rally Brasil

Diante de 35 mil pessoas, piloto paraguaio e navegador Marcelo der Ohanessian são os mais rápidos do Super Prime do Parque da ACCIE. Segundo dia tem sete especiais

“Nada explica esse amor”. O slogan escolhido para a edição dos 25 anos do Erechim Rally Brasil não poderia servir melhor para definir a noite de sexta-feira no Parque da ACCIE. Afinal, uma multidão estimada em 35 mil pessoas tomou o entorno do circuito da Super Prime para acompanhar a passagem dos carros e UTVs com pilotos de sete países por esta que foi a primeira das 12 especiais da prova deste ano.

E o show das máquinas esteve à altura do carinho do público, com o tradicional formato das largadas dois a dois levantando poeira e garantindo a emoção. E determinando os primeiros líderes da disputa, válida pelos campeonatos FIA Codasur (Sul-Americano); Brasileiro e Gaúcho, além da Copa Proto e da Copa UTV.

A dupla formada pelo paraguaio Fabricio Zaldivar e pelo argentino Marcelo der Ohanessian (Hyundai i20 Rally 2 / MZR Racing) fechou os quatro quilômetros do primeiro desafio em 3min14s70. Com isso, aparecem exatos sete segundos à frente de mais uma parceria Paraguai/Argentina: a de Augusto Bestard / Luís Suaya (Volkswagen Polo R5 / GRT), vencedores do Erechim Rally Brasil.

A grande surpresa da noite foi o desempenho dos melhores brasileiros. Na estreia dos UTVs na prova, Ricardo Oro e Marco Marini levaram seu Can-Am Maverick X3 à sexta posição geral, com 3min32s8, favorecidos pela agilidade e pelo elevado curso de suspensão deste tipo de veículo.

Entre os carros com tração dianteira (4×2), o único piloto a alinhar em todas as edições do Erechim Rally Brasil fez bonito. Ao lado de Andrei Karpinski, Luís Tedesco (Fiat Palio / TED Racing) bateu Luís Stédile / KZ Morales (Renault Clio RS / UB Rally) por 0s2.

Sábado
Se a temperatura não foi das mais baixas, a Prime ajudou a esquentar pilotos e navegadores para o que vem pela frente neste sábado. Serão sete especiais, por quatro trechos. A SS2/5 (Pro Tune), de 10,03km é bastante técnica, mais estreita e de poucas retas. A SS3/6 (Gasparin Cristalina) é totalmente nova, entre belas paisagens, e entra no município de Gaurama.

Já a SS 4/7 (Cavaletti) não apenas é a mais longa do rally (20,02 km) como também a mais completa, com um início mais rápido e largo e uma segunda metade mais fechada, com cascalho e pedras. Por fim, as duplas voltam a fazer a Super Prime, agora sob luz natural.

Comunicação Erechim Rally Brasil 2023
Rodrigo Gini
Foto: RPM Fotografías